Discurso Iniciático – Marc Haven

Martinismo e Tradição Martinista

Homem de Desejo, Irmão desconhecido, tu que marchas para Tebas, em qualquer região das nossas terras onde te encontrares, é em ti que penso e é a ti que me dirijo, porque, nos desertos preparatórios, aprendeste nossa língua materna e os verbos primitivos dos nossos Anciãos, como nós, de luminosas tochas, ó viajante desconhecido a quem amo como um irmão.

Amanhã serás o Mestre poderoso do reino terrestre. Não eras ontem o escravo da última das raças e não servias aos répteis da terra?

Hoje, discípulo de um Mestre, incerto do futuro, tímido ainda, estás amedrontado às portas da luz. Talvez, repassando em tua memória as etapas percorridas para chegar até lá, encontres uma nova segurança, alguma lição para o presente.

Don`t copy text!