Ordem Kabalistica da Rose-Croix

Martinismo e Tradição Martinista

Em 1884 o esotérico MARQUÉS STANISLAS DE GUAITA (1861-1897), com a idade de 24 anos, leu o “O Vicio Supremo”, escrito por Joséphin Péladan. A mística de Péladan atraiu a Guaita que se colocou em contato com ele. Guaita não só connheceu a Joséphin, como também ao irmão maior de Joséphin, chamado Adrian Péladan, de quen Bayard disse que estava conectado com uma Ordem da Rosacruz de Toulouse, dirigida por FIRMIN BOISSIN.

Stanislas de Guaita teve como secretario a OSWALD WIRTH, conhecido por publicar varias e importantes obras esotéricas. Guaita escreveu, sendo muito jovem, vários livros ocultistas: Em 1886 publicou “Ensaios das Ciências Malditas” e “No Umbral del Mistério”. Em 1891 seu “Templo de Satán” e em 1897 a “Chave da Magia Negra”. Ao morrer deixou uma obra inacabada “O Problema do Mal”, que seria publicada recentemente em 1950 e graças as notas de seu secretario Wirth.

Em 1888 Stanislas de Guaita, com a idade de 27 anos, fundou a “Ordem Kabalística da Rosacruz”, dirigida por um Conselho Supremo, composto por doze membros. Se conhece o nome de vários deles: Stanislas de Guaita, como Chefe Supremo; PAPUS (Gerard Encausse) restaurador do Martinismo; F.Barlet; Josephin Péladan que se separaria da Ordem Kabalística en 1890 para fundar a Ordem de la Rose+Croix; o abade Alta, cujo verdadeiro nome era Mélinge, cura de Morigny, na dioceses de Versailles, Paul Adam, Gabrol y Thoron.

Don`t copy text!