Os Sete Planetas e os Deuses Gregos

Mitologia Greco-Romana

O Céu fascina. Quem algum dia não se sentiu apaixonado em uma noite enluarada, ou provido de um vigor intenso em um dia ensolarado? Ou quem não se deixou se guiar pela imaginação ao contemplar um belo Céu estrelado?

As sensações provocadas pelos corpos celestes foram ao longo do tempo imortalizadas nas mais belas obras da literatura mundial, reconhecendo assim, com toda justiça, sua inquestionável influência sobre os seres humanos. Esta mesma influência que acalentou os corações dos poetas inquietou o gênio dos sábios da Antigüidade, que se propuseram então a investigar este mágico efeito que os astros provocam sobre a Vida na Terra. Eis então que surge a milenar Ciência da
Astrologia.

Estes sábios observaram pacientemente, ao longo dos anos, a bela marcha dos astros no Céu, e perceberam que no majestoso cenário composto ao fundo pelas estrelas alguns intrépidos atores se destacavam, quer fosse pelo intenso brilho, quer fosse pela apaixonante dança que os levavam de um ponto a outro. À estes atores, dançarinos em um Céu cujas estrelas eram como que luzes fixadas no escuro fundo azulado, os gregos deram o nome de Planetas, que significa “viajantes”. Os Planetas eram, portanto, os grandes rebeldes do cosmos, seguindo suas próprias trajetórias como viajantes errantes por caminhos incertos, caminhos estes cujas paisagens eram adornadas com o esplendor das estrelas fixas.

Don`t copy text!